sábado, 23 de novembro de 2013

I-S-P-E-P


Não entendo o alarido, a onda de indignação, e todos os movimentos que têm surgido nas redes sociais contra a marca Pepsi. Estou pois em crer, que é mais um daqueles casos em que a montanha pare um rato... Ora vejamos os factos. Está empiricamente comprovado, ("empiricamente??" - pergunta de si para si o leitor! Se me permitir, apresso-me a esclarecer: a minha fonte é a de senso-comum, sem qualquer rigor científico mas que ganhou consistência na verificação atenta dos (a)casos do dia-a-dia), que a larga maioria de pessoas só bebe Pepsi quando não há Coca-Cola. Pepsi nunca foi assim opção mas falta de alternativa. Eu própria, não me lembro de alguma vez na minha vida ter pedido uma "Pepsi" a um empregado de mesa, sendo que as pouquíssimas vezes que ingeri tal líquido, foi porque ao meu pedido de Coca-Cola o empregado respondeu: "Cola não temos. Pepsi, pode ser?" Ao qual, desmoronando o meu sorriso, rosno um: "Que remédio!". Posto isto, deixo aqui bem claro que não participarei em nenhum movimento ou petição contra tal marca, pois para mim, essa coca-cola-mal-concebida-vulgo-Pepsi permanecerá no campo da indiferença...

Sem comentários:

Enviar um comentário