sábado, 23 de junho de 2012

Grandes obras



As grandes obras de arte, produzem um efeito que em muito ultrapassa as paredes dos museus em que estão expostas, têm a capacidade de influenciar o aspecto do mundo que nos rodeia. Alastair Sooke realizou, para a BBC um documentário através do qual analisa a influência das obras de Andy Warhol (ver vídeo), Henri Matisse, Pablo Picasso e Salvador Dalí, na sociedade contemporânea. Resta a certeza de que Dalí era um chato, sem a genialidade de meio Almada Negreiros em crise.

domingo, 17 de junho de 2012

Domingo

                               

E se as pinturas rupestres procuram capturar, de modo sequencial, um determinado momento? Foi nisto que Marc Azéma pensou.

terça-feira, 12 de junho de 2012

A língua em movimento

Manhãs Gloriosas


Anos 90...tudo parecia possível, adolescência rebelde no optimismo guterrista, fundos (europeus) sem fundo, Britpop no leitor.... como não ser ingenuamente feliz?

domingo, 10 de junho de 2012

Domingo



Quinhentos anos de musas na arte ocidental, diferentes estilos, diferentes períodos. Para ver e ouvir.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Inventem-se novas leis

Isto está longe de ser um Baby Blog, é certo, mas começa-me a chatear que o rufia lá da turma ache que a minha filha tem braços, costas e cabeça de borracha para poder mordê-la todos os dias. E maça-me ainda mais que os paizinhos achem normal pois ele é a melhor criança deste mundo e quiçá do outro também....

Já que se fazem leis para tanta coisa, não se pode dar já ordem de prisão a esta criança? Obviamente que ao fazer ISTO das duas, três: ou ele, quando for mais velho, vai ser cada vez mais violento e vai preso, ou a minha filha, dócil, com o tempo vai tornar-se vingativa e, no futuro, vai presa, ou eu enfio-lhe duas palmadas bem dadas e eu vou presa por agressão a criança.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

O Mundo dos Vivos


O Mundo dos Vivos, compilação de crónicas (Público e Expresso), da autoria de Pedro Mexia, é um roteiro (pós-)moderno sobre literatura, música, cinema. É impossível não apreciar um livro que nos fala sobre Amanda Knox (Foxy Knoxy, Grrrrrrrrr!), visita o museu das relações falhadas e alinha com o Kierkegaard dos super-heróis. Mexia, como poucos, consegue uma mistura rica entre cultura pop e cultura erudita. Com este livro (edições Tinta da China), no fim do combate, nem o autor nem o leitor saem a perder.